Representantes de 4 municípios discutem adoção de plano regional para o desenvolvimento do turismo

Cachoeira da Bruaca Corupá

A necessidade dos municípios que integram o Consórcio Intermunicipal Quiriri – formado por São Bento do Sul, Corupá, Campo Alegre e Rio Negrinho – de constituir planos municipais e regional para o desenvolvimento do turismo, levou representantes das quatro Prefeituras a se reunirem em São Bento do Sul para discutir sobre a parceria para potencializar esse segmento da economia. A ideia é contratar uma instituição ou empresa que possa auxiliar na estruturação dos planos municipais de turismo destas quatro cidades e depois criar um plano regional que contemple uma rota de turismo nas cidades de Campo Alegre, Rio Negrinho, São Bento do Sul e Corupá.

O secretário de Indústria, Comércio, Turismo, Esporte e Lazer de Corupá Juliano Millnitz e a chefe de divisão de turismo e lazer da secretaria Valéria Assis de Oliveira, participam das reuniões que estão ocorrendo para discutir os planos municipais e integrados de turismo.

O encontro mais recente ocorreu na segunda-feira em São Bento do Sul quando a turismóloga do Senac Flávia Didomênico, apresentou o serviço oferecido pela instituição para a constituição dos planos municipais de turismo. Um dos exemplos citados por Flávia de consultoria ministrada pelo Senac, foi para Blumenau que reuniu entidades públicas e privadas e durante oito meses trabalhou na constituição do plano de turismo que foi aprovado no fim do ano passado. Agora a cidade tem organizado as formas de atuação e toda a cadeia que integra as rotas e roteiros turísticos naquele município.

Segundo Flávia, hoje o Estado de Santa Catarina está dividido em 12 regiões turísticas, cada uma com seus potenciais e atrativos, mas que ainda podem ser muito exploradas, sendo uma fonte importante de receita para os municípios e renda para a população. “O turismo precisa ser pensado como atividade econômica e rentável para toda uma cidade. Por isso é que a organização e o diagnósticos dos potenciais turísticos são muito importantes para a constituição de planos de turismo”, completa.

O secretário de Indústria, Comércio, Turismo, Esporte e Lazer de Corupá Juliano Millnitz comenta que a exploração do turismo na cidade e na região, precisa começar pela organização dos mais diversos segmentos dos municípios que vão desde o setor público até o privado. “Precisamos constituir um plano municipal de turismo e outro regional para nortear a atuação nesse setor e aproveitar ainda mais nosso potencial. Corupá é uma cidade com muitos atrativos naturais que podem ser mais reconhecidos e divulgados fazendo com que o turismo cresça na nossa cidade e na região da Serra”, salienta o secretário.

Outros encontros entre os quatro municípios do Consórcio Quiriri devem ocorrer para que sejam definidos a forma como serão constituídos os planos municipais de turismo e os trabalhos sejam realizados e concluídos ao longo do ano.

Atrações

Corupá é um destino de beleza surpreendente para os apreciadores do ecoturismo. Aos pés da Serra do Mar, em um vale rodeado de quedas de água e de Mata Atlântica, a cidade é reconhecida pela Rota das Cachoeiras e caminhos usados para a prática do cicloturismo e trilhas.

A economia local baseia-se na agricultura, em especial a bananicultura, que lhe dá o título de Capital Catarinense da Banana. O artesanato em fibra de bananeira e os produtos a base de banana são uma marca registrada da cidade e também atrativo para o turismo.Corupá também é conhecida pelo cultivo em grande escala de plantas ornamentais, orquídeas e bromélias. Hoje as plantas abastecem os mercados nacional e internacional.
A localização geográfica no início da Serra para o Planalto Norte e, entre dois polos regionais, Jaraguá do Sul e São Bento do Sul, faz de Corupá um excelente ponto turístico para quem percorre o conhecido Caminho dos Príncipes.

 

Áurea J. Arendartchuk

Pin It