Jaraguá do Sul – Fujama pode iniciar fiscalização de efluentes na próxima semana

Rio.jpg - www.tvimagemnet.com

 

A fiscalização de efluentes no município de Jaraguá do Sul pode iniciar na próxima semana, de acordo com informação do presidente da Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente, Leocádio Neves e Silva. Sob a responsabilidade da Coordenação de Fiscalização Ambiental da instituição, o programa consiste na adoção de um plano de amostragens em empresas que lançam efluentes nos rios. Silva explica que “o objetivo é confrontar com os resultados dos laudos de eficiência das estações de tratamento que são periodicamente entregues à Fujama ou à Fatma pelas próprias empresas, conforme a exigência constante no licenciamento ambiental”.

Já outra ação também a ser implementada pela Fujama no sentido de garantir a preservação da qualidade ambiental do município, o programa de repovoamento dos rios da microbacia do Jaraguá (Cerro, da Luz e Jaraguá), ainda não tem data definida para começar. A intenção, segundo Leocádio Silva, era inicia este programa junto com o de fiscalização de efluentes, mas, devido às obras emergenciais de desassoreamento que serão executadas pela Defesa Civil, optou-se por esperar outro momento.

“Como esta intervenção deve provocar alguma perturbação, nós vamos aguardar até que as obras estejam encerradas e que os rios voltem ao seu equilíbrio para, então, iniciarmos o lançamento dos alevinos”, esclarece o presidente da Fujama. Ele acrescenta que esta medido é para garantir o máximo de eficiência do programa, evitando que as obras possam provocar a morte dos alevinos, os quais são mais sensíveis a alterações ambientais desta natureza do que os peixes adultos que já estão no rio. “Para definirmos uma data, precisamos saber o cronograma da execução das obras, o que não nos chegou ainda”, informa Silva.

 

Confira como será executado o Programa de Fiscalização de Efluentes:

PROCEDIMENTO – Inicialmente, serão realizadas amostragens mensais definidas através de uma seleção aleatória de quatro a oito empresas, com a participação dos técnicos de licenciamento da Fujama. Os resultados obtidos irão compor um banco de dados que será empregado na gestão do processo de fiscalização das empresas instaladas no município. As empresas monitoradas em meses anteriores poderão passar por novas ações sempre que houver denúncias ou suspeitas de infrações ambientais.
ANÁLISE – As amostras serão encaminhadas a laboratórios especializados, que realizam ensaios de ecotoxicidade com organismos empregados em todo o mundo neste tipo de análise: a bactériaVibrio fischeri e o microcrustáceo Daphnia magna. O princípio do teste é identificar concentrações do efluente tratado em que se observa a mortalidade dos organismos, identificando o potencial tóxico das substâncias. Estas metodologias são extremamente eficientes e já constam da legislação que determina as condições de funcionamento e os crimes ambientais no Brasil. Paralelamente, outras análises dos efluentes também poderão ser realizadas, sempre que houver a necessidade de reforço ou que algum indício sugira a contaminação.
ENCAMINHAMENTOS – Caso alguma empresa seja flagrada descumprindo a legislação e as regras do licenciamento ambiental, a Fujama aplicará todas as sanções previstas em lei, que, além de multa, pode levar à interdição da estação de tratamento. Da mesma forma, o responsável técnico pela operação da estação responderá administrativa e judicialmente, conforme a gravidade e os danos potencial ou efetivamente provocados ao curso d’água.

 

Por: Jorge Luiz Cardoso Pedroso/Diretoria de Comunicação-PMJS

Foto: Arquivo Jonathan Rocha – TV IMAGEM NET

Pin It