Exportações catarinenses de carne suína têm alta de 44% em agosto

Santa Catarina responde por 39% das exportações brasileiras de carne suína em agosto. O estado se consolida como o maior produtor e exportador de carne suína do país e embarca mais de 25,6 mil toneladas do produto em agosto, 44% a mais do que no mesmo período de 2015. O resultado das exportações rendeu a Santa Catarina um faturamento de US$ 53,9 milhões, uma alta de 30% se comparado com agosto do último ano.

De janeiro a agosto de 2016, o volume exportado por Santa Catarina já é 47% maior do que no mesmo período do ano passado. Ao todo, foram 179,3 mil toneladas de carne suína enviada para o exterior, acumulando receita de US$ 337,4 milhões. Para o secretário adjunto da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, o sucesso de Santa Catarina na produção e exportação de carne suína se deve à alta qualidade e aos custos competitivos. Sem contar o diferencial da excelência sanitária catarinense, como único estado brasileiro livre de febre aftosa sem vacinação reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal.

Foto: Arquivo/Secom

A certificação internacional e o intenso trabalho de defesa sanitária faz com que Santa Catarina tenha acesso exclusivo aos mercados mais exigentes do mundo como Japão, Estados Unidos e, futuramente, Coreia do Sul. “Santa Catarina está colhendo os frutos do grande esforço e investimento das últimas décadas em sanidade animal, o que beneficia produtores, agroindústrias, fornecedores e trabalhadores da cadeia produtiva com mais empregos e renda, resultando num impulso para o desenvolvimento econômico do estado”, ressalta Spies.

Segundo levantamento da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), as exportações brasileiras de carne suína em agosto deste ano chegaram a 65,5 mil toneladas, uma alta de 30,7% em relação a agosto de 2015. No Brasil, o saldo cambial foi de US$ 138,3 milhões e o crescimento foi de 19,8% em relação ao último ano. Entre janeiro e agosto, o resultado para o país chegou a US$ 893,5 milhões, montante 8,1% maior que o obtido no mesmo período do ano passado.

Segundo o presidente-executivo da ABPA, Francisco Turra, o setor vem mantendo um bom ritmo de crescimento em volume e receita. Principal destino das exportações brasileiras, a Rússia importou entre janeiro e agosto 159,3 mil toneladas, 4% a mais que o registrado no mesmo período do ano passado.

Em segundo lugar, Hong Kong importou nos oito primeiros meses do ano 111,1 mil toneladas, volume 54% superior ao alcançado em 2015.  A China, no terceiro posto, importou no mesmo período 63,4 mil toneladas.

Suinocultura em SC

Em Santa Catarina, a produção anual de carne suína gira em torno de 850 mil toneladas. Com um rebanho efetivo estimado em sete milhões de cabeças, o estado é responsável por 27% da produção nacional, cerca de 3,48 milhões de toneladas, e é o maior exportador de carne suína do país. Atualmente, o estado exporta quase 190 mil toneladas por ano.

Por seu status sanitário diferenciado – único estado brasileiro livre de febre aftosa sem vacinação e também livre de peste suína clássica, com certificados da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) – o estado é habilitado a exportar para os países mais competitivos do mundo como a Rússia, China, Angola, Cingapura, Chile, Japão, Uruguai e Argentina. Este ano, a Coreia do Sul autorizou a importação da carne suína produzida em Santa Catarina e a expectativa é que os primeiros embarques aconteçam em 2017.

Ana Ceron.

Pin It