Dia D de vacinação contra a gripe acontece no dia 13

IMG_0319
No dia 13 de maio, sábado, acontece em todo o país o Dia D da Campanha de Vacinação contra a Gripe. Todos os postos de saúde de Jaraguá do Sul com sala de vacina estarão abertos das 8 às 17 horas para imunizar gestantes, mães recentes, crianças de seis meses a menores de cinco anos, pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores da área da saúde, doentes crônicos e professores.

A enfermeira do Programa de Imunização, Ana Cristina Machado Kneipp, cita que apenas as unidades de saúde dos bairros Vieira, Tifa Martins/Ana Paula, Amizade/Czerniewicz, Três Rios do Norte e Águas Claras não possuem sala de vacina. Todos os outros postos estarão abertos no sábado, dia 13. Ana explica que a procura pela vacina está baixa. “Até o momento foram aplicadas 10.848 doses da vacina, enquanto que a meta é 25.954 doses. Os doentes crônicos são contabilizados em separado, sendo a meta 10.309 doses e apenas 4.006 foram aplicadas até o momento”, cita.

Lembrando que doentes crônicos precisam levar, além da identidade e carteira de saúde, um encaminhamento médico por escrito dizendo que o paciente é doente crônico, especificando a doença através de CID (Classificação Internacional de Doenças). Só serão vacinados os doentes crônicos com o encaminhamento médico, com exceção daqueles que são acompanhados por programas das unidades de saúde e já tem nos registros a comprovação de doença crônica. São consideradas doenças crônicas, passíveis de vacina contra a gripe, doença respiratória crônica (paciente que usa medicação contínua. A rinite não se encaixa nessa classificação), doença cardíaca crônica, renal crônica, hepática crônica, neurológica crônica, diabetes, imunossupressão (HIV, lupus, artrite reumatoide, entre outras), trissomias e obesidade mórbida.

Seguem abaixo algumas perguntas e respostas do site do Ministério da Saúde a respeito da vacinação contra a gripe

Quais são os vírus que a vacina protege?
A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no inverno passado que são: Influenza A (H1N1); Influenza A (H3N2) e Influenza B.

Há alguma contraindicação da vacina?
A vacina só não é recomendada para quem tem alergia à proteína do ovo – usada na sua fabricação.

A vacina contra a gripe causa algum efeito colateral?
Não. A vacina usada na campanha contra a gripe é segura e bem tolerada. Em poucos casos podem ocorrer manifestações de dor no local da injeção ou endurecimento. Isso pode ser associado a erro técnico de aplicação.
Além disso, as pessoas que não tiveram contato anterior com os antígenos – substâncias que provocam a formação de anticorpos específicos – podem apresentar mal-estar, mialgia ou febre. Todas estas ocorrências tendem a desaparecer em 48 horas.

Vou ficar gripado (a) após me vacinar?
Não. A vacina contra a influenza (gripe) é inativada, contendo vírus mortos, fracionados ou em subunidades não podendo, portanto, causar gripe. Quadros respiratórios simultâneos podem ocorrer sem relação causa-efeito com a vacina.

Por que nem todo mundo recebe vacina gratuitamente? Quais os critérios de distribuição?
A vacina de influenza tem por objetivo evitar os casos graves e os óbitos, e não eliminar a transmissão do vírus. Por isso, o Brasil, assim como todos os países que usam essa vacina, segue a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de vacinar os grupos com maior vulnerabilidade para as complicações e os óbitos.
Na sua grande maioria, os casos de gripe são casos leves e que se resolvem espontaneamente sem sequelas ou complicações. Entretanto, nos grupos mais vulneráveis, o caso pode se complicar e gerar outras doenças graves, como a pneumonia bacteriana.

Por que crianças com menos de seis meses não serão vacinadas?
A vacina disponível atualmente não é recomendada para o grupo de menores de seis meses em razão de não haver estudos que demonstrem a qualidade da resposta imunológica, ou seja, a proteção não é garantida.

Quanto tempo leva para a vacina fazer efeito?
Em adultos saudáveis, a detecção de anticorpos protetores se dá entre 2 a 3 semanas após a vacinação, e apresenta, geralmente, duração de 6 a 12 meses. O pico máximo de anticorpos ocorre após 4 a 6 semanas após a vacinação.

Por quanto tempo dura a imunização pós-vacina?
Dura de 6 a 12 meses.

É obrigatório apresentar a caderneta de vacinação?
Não é obrigatória a apresentação da caderneta de vacinação, mas este documento é necessário para atualização de outras vacinas do calendário de vacinação.

Quem se vacinou no ano passado, precisa se imunizar de novo?
Sim, a imunidade dura – após a vacina – de 6 a 12 meses. A composição da vacina e produção é anual, e pode mudar conforme os vírus que circularam no ano anterior.

Como ocorre a transmissão?
O vírus é transmitido de pessoa a pessoa, principalmente por meio da tosse ou do espirro e, principalmente, pelo contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas ao se tocar superfícies contaminadas e depois levar a mão ao rosto.

Quais as medidas de proteção para a população não vacinada?
Para se prevenir, as pessoas devem ser orientadas a tomar alguns cuidados de higiene como: lavar bem, e com frequência, as mãos com água e sabão; evitar tocar os olhos, boca e nariz após contato com superfícies; não compartilhar objetos de uso pessoal e, ainda, cobrir a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar.

Clarissa Hammes Borba de Oliveira
Pin It