Defesa Civil de Joinville faz alerta sobre enxurradas em rios

A forte enxurrada que atingiu dois importantes rios na zona rural de Joinville na tarde de segunda-feira (2), o Cubatão e o Pirabeiraba, e que provocou um grande susto em pessoas que se banhavam em suas águas, foi resultado de uma forte chuva que atingiu o índice de 70 milímetros em apenas uma hora.

A medição foi feita na estação meteorológica do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cenaden), na cidade de Garuva, e surpreendeu pelo alto volume em pequeno espaço de tempo.

Nesse tipo de situação, a Defesa Civil de Joinville recomenda que as pessoas que estão se banhando nos rios ou próximas às margens fiquem atentas às mudanças repentinas do tempo. Na segunda-feira, todos foram surpreendidos pelo aumento repentino na correnteza dos rios mesmo sem chuva nas proximidades.

Na região do Monte Crista, em Garuva, uma adolescente de 14 anos foi arrastada pela força da correnteza, mas conseguiu se agarrar em galhos que estavam em uma das margens. O helicóptero Águia, da 2ª Companhia do Batalhão de Aviação da Polícia Militar foi chamado e resgatou a menor. Ela foi levada para a emergência do Hospital Infantil Doutor Jeser Amarante Faria.

Em Joinville, um homem foi carregado pelas águas do rio Cubatão.  Ele estava se banhando nas imediações da Estrada do Oeste. O helicóptero Águia realizou buscas, mas não localizou a vítima. A Defesa Civil informou que a Estação do Quiriri, em Garuva, registrou 72 milímetros de chuva em uma hora.

Na ocorrência das enxurradas, todos devem sair do rio e evitar ficar sobre pontes ou pontilhões.

Desde dezembro, a Defesa Civil de Joinville realiza blitze educativas em regiões do bairro Vila Nova e da Estrada Quiriri com o objetivo de orientar a população sobre os cuidados ao utilizar os rios dessas regiões, principalmente no verão.

Depois de realizar palestras em escolas, o projeto se estendeu para os rios, pontos de banho que foram mapeados e onde são feitas as blitze educativas nos domingos (alternadamente) de dezembro a março.

Os principais cuidados a serem observados são escolher um lugar seguro; conhecer a profundidade do rio, observar a correnteza e verificar a existência de obstáculos como troncos, pedras ou galhos; observar as condições climáticas e eventos naturais como enxurradas; evitar mergulhar ou observar atentamente o local. Registros da Defesa Civil indicam que os incidentes mais sérios ocorrem em mergulhos.

Recomendações

Nas tempestades com descargas elétricas (raios), ventos fortes e granizo,

proteja-se em local abrigado, longe de placas, árvores, postes de energia e objetos que podem ser arremessados.

Se não encontrar um abrigo, agachar com os pés juntos, com a cabeça encostada no peito ou entre os joelhos e as mãos cobrindo as orelhas ou apoiadas nos joelhos.

Se estiver na praia, jamais ficar na água.

Não olhar para o raio.

Se estiver em casa ou qualquer outro local abrigado, desligar os aparelhos eletrônicos, não usar o telefone, ficar longe das janelas e lembrar que o banheiro em alvenaria é o melhor local durante uma tempestade.

Alagamentos

Evitar o contato com as águas e não dirigir em lugares alagados.

Evitar transitar em pontilhões e pontes submersas e cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

Telefones úteis

199 – Defesa Civil

193 – Corpo de Bombeiros

Pin It