Além do Carnaval, eleição de Crivella pode afetar outras parcerias do Rio com o Grupo Globo

crivella

Prefeito eleito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB) promete travar um “duelo de gigantes” com o Grupo Globo durante os quatro anos de seu mandato. Além da possibilidade de beneficiar a Record na briga pelos direitos de transmissão do Carnaval – aproveitando-se de um estremecimento entre Globo e Liesa, pela não exibição da primeira escola de cada dia. O conflito, vale lembrar, foi resolvido com um ajuste de horários – outras parcerias podem ser afetadas.

Reportagem do jornal “Folha de S. Paulo” revela que, durante a gestão Eduardo Paes (PMDB), o Grupo Globo atuou em diversos projetos das áreas de eventos, educação e cultura. Por meio da Fundação Roberto Marinho, recebeu R$ 89,6 milhões da Prefeitura pela concepção do Museu do Amanhã e reforma do edifício D. João para sediar o Museu de Arte do Rio (MAR).

Desde 2011, o município também patrocina a Infoglobo na realização de eventos de gastronomia, educação, moda, música e Carnaval. Agora, o prosseguimento destes acordos depende do aval de Crivella, que também pode orquestrar uma redistribuição das verbas publicitárias.

Segundo apurou a “Folha”, a Record não recebeu nenhum centavo dos R$ 86 milhões destinados à publicidade neste ano. Eduardo Paes vetou o repasse por acreditar que a Record favorecia em seus noticiários um adversário político, o então senador Marcelo Crivella.

Por trás de toda essa rivalidade, convém ressaltar, está a disputa de poder entre a Igreja Universal, controladora da Record, e a Globo. Sobre esse assunto, o prefeito eleito se pronunciou, ainda durante a campanha. “Eles acham que, pela minha mãe ser irmã do bispo [Edir] Macedo,  eu vou usar de alguma forma a minha influência para ajudar a [TV] Record. Imagina se eu vou fazer uma coisa dessa”.

RD1

Pin It