Material reaproveitado é usado para pavimentar ruas do município

IMG_6225
Em tempos de sustentabilidade, o reaproveitamento de materiais para solucionar problemas urbanos é sempre bem visto pela comunidade. Que o diga o industriário Denilson Machado, morador da rua Valdir Kaiser, bairro Ilha da Figueira, há mais mais de duas décadas. O pouco antipó – aplicado há cinco anos –  que ainda restava sobre os 165 metros rua já não dava conta da demanda de carros e pessoas que trafegam por ali. “Dias de sol a poeira era, já a chuva trazia a lama para dentro de casa”, lembra a esposa de Machado, Rosane.
Há alguns meses, Machado começou a organizar conversa com os vizinhos e foi conversar com o secretário de Obras e Serviços Públicos Onésimo Sell, para solicitar uma solução para o problema de sua rua. “Foi quando fomos informados que existia a possibilidade de transferir o piso de paralelepípedos de ruas que estavam sendo pavimentadas para cá”, lembrou o morador.
A dinâmica foi a seguinte: os moradores pagam o meio-fio e a mão-de-obra e a Prefeitura se comprometida com os demais trabalhos como a escavação, preparado da cancha, areia e a aplicação do piso de paralelepípedos. No caso da Valdir Kaiser, o pavimento foi transferido da rua Eugênio Lessmann, no Centro, que foi asfaltada.
A obra já foi concluída e agora o casal Machado não vê a hora do netinho brincar na rua com piso novo. “Foi uma grande vitória para gente e para os vizinhos”, resumiu sorrindo. Denilson.
Do outro lado da cidade, parte da Rua Leocádio Cardoso da Silva, no bairro Rio Molha, parte da via já recebeu  parte das  lajotas retiradas de onde foi asfaltado para a Via Verde (Ilha da Figueira). Ao contrário da Valdir Kaiser, o trabalho está apenas começando, mas a dona-de-casa Erta Torinelli já comemora a melhoria. “Nossa, a gente vivia pedindo para ajeitar esse trecho da rua. Que bom que finalmente o pessoal tá se mexendo para melhorar nosso cantinho”, sorriu a moradora que continuava a varrer sua casa. “Agora deve sujar menos, né”, emendou bem-humorada.
Lajotas reaproveitadas também foram utilizadas para pavimentar uma rua sem-nome na Ilha da Figueira e que dá acesso ao Centro Municipal de Educação Infantil, Leonir Pessate Alves. Neste caso, a Prefeitura bancou os custos da melhoria. De acordo com a Secretaria de Obras e Serviços Públicos existe material reaproveitável para pavimentar pelo menos mais duas ruas do município.
Rogério Tallini
Pin It